Museu Municipal

Cadastre-se

receba novidades



MUSEU MUNICIPAL DE CACHOEIRA DO SUL - Patrono Edyr Lima

ENDEREÇO: 

Rua 15 de novembro, 364 CEP 96.508 - 750

Cachoeira do Sul - RS

Telefone: (51) 3724.6017 

Site:www.museucachoeira.com.br    

E-mail:museu@cachoeiradosul.rs.gov.br

Pesquisa: pesquisamuseucachoeira@gmail.com

Histórico do Município



Prédios tombados

Prédios tombados

PRÉDIOS TOMBADOS EM CACHOEIRA DO SUL

 

1 -          CATEDRAL NOSSA SENHORA DA CONCEIÇÃO: símbolo de antiguidade e de fé de Cachoeira do Sul, a Catedral, antiga Igreja Matriz, ilustra o brasão da cidade desde 1969, quando foi considerada monumento histórico pela Lei Municipal n.º 1379. Sua construção teve início em 1793 e a inauguração aconteceu em 30/9/1799. A igreja original, projetada pelo engenheiro militar João Róscio, era de estilo colonial português. Sucessivas reformas ao longo de sua existência provocaram modificações em sua estrutura externa e interna, sendo as mais significativas as que aconteceram em 1929 e a partir de 1963, concluindo-se somente em 1983. Intervenções mais recentes substituíram o telhado e o teto. Em 1985, o COMPAHC oficializou seu tombamento através do processo n.º 3919/85. Com projeto de restauração aprovado pela LIC e Lei Rouanet, as obras de restauro da Catedral tiveram início em 2008.

 

2 -          PREFEITURA MUNICIPAL: construído inicialmente para sediar as casas da Câmara, Júri e Cadeia, o sobrado de estilo colonial português com características neoclássicas foi inaugurado em 5/8/1865, seguindo planta do militar José Maria Pereira de Campos e execução do empreiteiro Ferminiano Pereira Soares. No ano de 1865, em visita a Cachoeira, o Imperador Pedro II sugeriu que o sobrado fosse utilizado como hospital já que não havia prédio com esta destinação na cidade. Até 1922 foi sede dos poderes executivo, legislativo e judiciário. Com a transferência do judiciário para o prédio do antigo Teatro Municipal, o sobrado ficou ocupado somente pelo legislativo e executivo até que, em 1983, a Câmara foi sediada no prédio do extinto Banco da Província. Seu tombamento ocorreu pelo processo n.º 3910/85.

 

3 -          PRÉDIO DA PRÉ-ESCOLA DO COLÉGIO SINODAL BARÃO DO RIO BRANCO: construído entre 1916 e 1917 para sediar a primeira escola de formação de pastores evangélicos para o Brasil, o prédio é um marco da história e da arquitetura da imigração alemã e abrigou, ainda, a Casa Paroquial, o Internato da Escola Brasileira – Alemã e o Jardim de Infância do Colégio Sinodal Barão do Rio Branco. Foi tombado pelo processo n.º 3118/85.

 

4 -          PRIMEIRO PRÉDIO DO HOSPITAL DE CARIDADE E BENEFICÊNCIA: construído entre 1903 e 1910, na Rua Saldanha Marinho nº. 27, com características dos estilos barroco e neoclássico, teve como construtor o Tenente Manoel Gomes Pereira. Os fundos para construção foram levantados através de campanhas junto à comunidade. Seu tombamento ocorreu em 1985, através do processo n.º 3119/85.

 

5 -          CASA DE CULTURA PAULO SALZANO VIEIRA DA CUNHA: construída para residência do Dr. Balthazar de Bem, médico, pecuarista e político, a partir de 1915, possui estilo eclético, com predomínio do neoclássico, e características arquitetônicas que são únicas na cidade, como o teto móvel com estrutura em vidro e metal. Foi residência da família de Bem por pouco tempo, passando a sediar o Clube Comercial, já em 1924, e várias entidades, dentre as quais a Biblioteca Pública Municipal e a Escola Superior de Artes Santa Cecília – ESASC. Tombada pelo COMPAHC em 1985, pelo processo n.º 3121/85, passou a denominar-se Casa de Cultura Paulo Salzano Vieira da Cunha em 1997 e sedia a Biblioteca Pública Municipal “Dr. João Minssen”, o Atelier Livre Municipal Professora Eluiza de Bem Vidal, o Conselho Municipal de Educação e a Lojinha do HCB.

 

6 -          RESIDENCIAL UNIÃO DE MOÇOS: construído por volta de 1850 para residência de José Custódio Coelho Leal, o prédio em estilo neoclássico foi sede, a partir de 1899, do Clube Cachoeirense e Clube Renascença (provavelmente quando foi adornado com as estátuas sobre o frontão), do Centro Literário Marcelo Gama, do Banco da Província e da União de Moços Católicos. Na década de 1960, então pertencendo à Diocese de Santa Maria, serviu como local para as celebrações religiosas da Paróquia de Nossa Senhora da Conceição enquanto a Igreja Matriz (hoje Catedral) estava fechada para reformas. Atualmente, o prédio serve como fachada ao condomínio denominado Residencial União de Moços. Foi tombado pelo COMPAHC em 1985 pelo decreto n.º 3918/85.

 

7 -          KNORR & EISNER: prédio em estilo tipicamente neoclássico, foi construído em 1918 para sediar a firma Knorr & Eisner. Em 1924, passou a agência do Banco do Brasil, depois a agência do Banco Agrícola Mercantil e finalmente do UNIBANCO até outubro de 2008. Seu tombamento ocorreu em 1986, sob processo n.º 9261/86.

 

8 -          CASA DA ALDEIA: o exemplar mais antigo ainda existente do tipo de construção que devia ser comum na Aldeia, o bairro que deu início à zona urbana de Cachoeira do Sul, e impropriamente identificada como a casa mais antiga da cidade. O proprietário que requereu licença para construir a casa em seu terreno na Aldeia chamava-se Manoel Francisco Cardozo e era casado com a índia guarani Joaquina Maria de São José. Seu tombamento ocorreu em 19/10/2005, pelo decreto n.º 557/2005.

 

9 -          CINE TEATRO COLISEU: inaugurado em 17 de fevereiro de 1938, em estilo arquitetônico art-dèco, o prédio representa uma tendência cultural do cachoeirense em dispor de grandes casas de espetáculo. A decisão de tombamento veio por meio de uma audiência pública realizada em agosto de 2004 (foto no alto da página).

 

10 -          PALÁCIO LEGISLATIVO JOÃO NEVES DA FONTOURA: o prédio foi construído pela firma Azevedo Moura & Gertum para sediar o Banco da Província e a inauguração ocorreu em setembro de 1927. A planta, em estilo neoclássico, é assinada pelo arquiteto Domingo F. Rocco. A partir de 1983, o prédio passou a sediar a Câmara Municipal de Cachoeira do Sul, com a denominação de Palácio Legislativo João Neves da Fontoura. O tombamento deu-se em 1985, pelo processo n.º 3122/85.

 

       11 -    ESTAÇÃO FÉRREA DE FERREIRA: inaugurada em 13 de outubro de 1885, a Estação Férrea de Ferreira é considerada de médio porte, constituída por prédio assobradado e anexo térreo (depósito), ambos em alvenaria portante, perfazendo área total construída de 533,35m². Seu aspecto funcional era de serviços administrativos no pavimento térreo e residência do Agente no pavimento superior.

 

     12 - TEMPLO MARTIM LUTERO: inaugurado em 19 de abril de 1931, o Templo Martim Lutero é único em seu estilo no mundo. Projetado pelo arquiteto alemão Theo Wiedersphan, em estilo neogótico, com base octogonal, foi construído em apenas oito meses às expensas da Comunidade Evangélica de Confissão Luterana de Cachoeira do Sul. Todos os objetos de culto foram tombados juntamente com o prédio. A solenidade oficial de tombamento, com assinatura do Decreto nº. 069/2011, pelo Prefeito Sergio Ghignatti, aconteceu no dia em que o Templo comemorou oitenta anos de existência.

 

       13 – CHÂTEAU D’EAU: o Château d’Eau, principal cartão-postal da cidade, foi inaugurado por João Neves da Fontoura em 1925. Sua função        era a de reservar água e contribuir para a sua distribuição. Artisticamente construído, o Château d’Eau empresta graça ao centro da Praça         Balthazar de Bem, completando com a Catedral, a Prefeitura e os jardins que os cercam, um dos conjuntos arquitetônicos mais imponentes do Estado. Foi tombado pelo Decreto n.º 190/2012, de 17 de agosto de 2012, Dia do Patrimônio Histórico, assinado pelo Prefeito Sergio Ghignatti.

Imagem do Château d'Eau: Neiva Ester Corrêa Köhler  

 

 14 - FAZENDA SÃO JOSÉ (da Atafona, ou Tafona): a Fazenda São José reúne elementos com riqueza histórica e arquitetônica que remetem à cultura e tradição lusitana em nosso meio. É o primeiro bem do patrimônio histórico tombado na zona rural do Município e está localizada na Porteira Sete. A casa-sede foi construída por volta de 1813 e a atafona (moinho de farinha de mandioca) é exemplar raro na região. A Fazenda da Tafona, como os proprietários preferem chamá-la, é museu registrado no Sistema Estadual de Museus desde 2001.

 

 





Fotos e Galerias



S-museu S-Info Webmail

 

Horário de Visitação ao Público:

Segunda-feira: 14h às 17h Terça a sexta-feira:Manhã: 8:30 às 11:30 Tarde: 14:00 às 17:00

Visitação mediada para estudantes e grupos:

Agendar pelo telefone: (51) 3724-60-17 ou no Museu

Dias da semana: 2ª  feira: turno da tarde - 14h , 3ª e 6ª feira: manhã- 9h e tarde - 14h.

S-Maq